Oficina

A Oficina CVC abriu portas em Julho de 2017 e resulta da ambição e determinação de um grupo de sócios que identifica como vital a existência de um espaço que permita a recuperação e manutenção dos veículos históricos como pilar fundamental da estratégia do clube e da preservação de veículos.

O espaço, paredes meias com a estrada nacional 13 (Porto - Viana do Castelo) fica a pouco mais de 15 quilómetros do Porto e próximo da linha B do Metro do Porto. Abre aos Sábados entre as 10h e as 19h para visita e colaboração dos sócios nos trabalhos de recuperação e manutenção, havendo um almoço-convivio para todos os interessados, com reserva obrigatória na véspera. 

A existência de um espaço coberto e fechado permite ao clube aventurar-se a fundo no processo de restauro a todos os níveis, desde a desmontagem e tratamento de chapa ate à pintura final. Dessa forma, foi possível efectuar o restauro completo da Toyota Dyna, tratamento de chapa e pintura do 640 e dar início ao restauro completo da Europa sem ter de recorrer a terceiros, o que é vantajoso para o clube a vários níveis: financeiro, mas também ao nível de aquisição de experiência e conhecimento técnico para restauros futuros.

Os trabalhos de recuperação são liderados por Pedro Soares que tem sido instrumental no dia a dia do Clube Viação Clássica graças ao seu conhecimento técnico e à sua natural aptidão para as tarefas a desempenhar. Estas características aliadas a uma forte dedicação, permitem que o trabalho de oficina flua de forma eficaz e que todos os membros presentes possam contribuir activamente independentemente do seu nível de experiência na área.

A oficina existe graças ao contributo financeiro extraordinário e mensal de Carlos Martins, Joaquim Martins, Jorge Ferreira, José Torres, Leandro Ferreira, Nuno Pinto, Nuno Rego, Nuno Vieira, Pedro Soares, Ricardo Figueiredo, Ricardo Taveira, Rui Nunes e Rui Pinto, que asseguram quase todo o financiamento do aluguer do espaço.